Uncategorized

WhatsApp finalmente irá rentabilizar aplicativo, cobrando de grandes empresas

A companhia também oferecerá um aplicativo gratuito para pequenas e médias empresas, embora não tenha delineado a funcionalidade específica dele

O WhatsApp irá finalmente rentabilizar seu aplicativo de mensagens, cobrando de grandes empresas por ferramentas que melhorem a comunicação com seus clientes. A companhia também oferecerá um aplicativo gratuito para pequenas e médias empresas, embora não tenha delineado a funcionalidade específica dele. A solução empresarial permitirá às empresas globais “fornecer aos clientes notificações úteis como horários de voo, confirmações de entrega e outras atualizações”.

A empresa escreveu que quer facilitar “a vida de quem quer fazer um pedido em uma padaria local ou procurar por novos estilos de uma loja de roupas” e “lojistas que usam o WhatsApp para manter contato com centenas de clientes de um único smartphone”, além de oferecer “uma maneira mais fácil de responder às mensagens”. Também pode cobrar por funcionalidades de bot de inteligência artificial ou transações de e-commerce.

A companhia também anunciou oficialmente seu programa piloto para verificar contas de negócios, a fim de distingui-las de contas pessoais e falsificações. Conversas com empresas são criptografadas e podem ser bloqueadas. Curiosamente, se uma empresa ainda não estiver nos contatos do seu número de telefone, seu nome aparecerá como qualquer coisa que eles tenham registrarem, em vez de seu número. Isso poderia permitir que o WhatsApp criasse um mecanismo de pesquisa comercial com resultados patrocinados opcionais.

Quando o Facebook adquiriu o WhatsApp por US$ 19 bilhões em 2014, as empresas disseram que não colocariam anúncios no aplicativo, porque isso degradaria a experiência. Eles também abandonaram a ideia de uma taxa de assinatura anual de US$ 1, deixando poucas opções de monetização, além de cobrar empresas por ferramentas. A introdução de anúncios gráficos e mensagens patrocinadas para o Facebook Messenger pode indicar um relaxamento da postura do WhatsApp contra anúncios.

Com mais de 1,3 bilhão de usuários mensais e 1 bilhão de usuários diários, o aplicativo atingiu a enorme escala necessária para que ganhasse uma receita significativa, mesmo com publicidade leve. O status agora tem 250 milhões de usuários diários e pode hospedar anúncios de vídeo verticais entre o conteúdo dos amigos – da maneira como o Instagram faz. Também pode inserir anúncios gráficos na caixa de entrada como o Facebook Messenger.

(via TechCrunch)